terça-feira, 8 de novembro de 2016

PARADA NACIONAL DIA 11 DE NOVEMBRO DE 2016

NÓS NÃO DEVEMOS TER MEDO DE AMEAÇAS QUE A DIREITA MESQUINHA ESTÁ ESPALHANDO PELO BRASIL AMEDRONTANDO OS TRABALHADORES E TRABALHADORAS BRASILEIROS QUE SE FIZEREM GREVE VÃO DESCONTAR NOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES. 
DEVEMOS AGIR A ALTURA E MOSTRAR PARA ESSES MANDACHUVAS SEM FUTURO O QUANTO SOMOS UNIDOS E LUTADORES. SOMOS UM POVO FORTE E AGUERRIDO E NENHUM SISTEMA AUTORITÁRIO VAI DERRUBAR OS NOSSOS DIREITOS. VAMOS PARALISAR O BRASIL NO DIA 11 DE NOVEMBRO DESTE ANO E MOSTRAR A NOSSA FORÇA. 

TAMBÉM É PRECISO QUE OS SINDICATOS SE MOBILIZEM PARA QUE ESSA GREVE SE ESTENDAM A TODAS AS CIDADES, POIS TEM SISTEMAS DE GOVERNOS MUNICIPAIS ASSOMBRANDO OS TRABALHADORES DO CORTE NO PAGAMENTO SE CASO ELES PARAREM. ISSO É MANDONISMO. HÁ CIDADES NO INTERIOR QUE OS FUNCIONÁRIOS FICAM AMEDRONTADOS E ASSOMBRADOS COM O IMPACTO QUE A GREVE GERAL POSSA FAZER NO SEU BOLSO.

VAMOS A LUTA. POIS O POVO UNIDO JAMAIS SERÁ VENCIDO.
"A CUT, que vem debatendo com suas bases a necessidade de construção da greve geral como resposta conjunta da classe trabalhadora aos ataques do governo golpista de Michel Temer aos nossos direitos e conquistas, após consultas e reuniões com outras centrais sindicais e com o setor de transportes feitas a partir da reunião da Executiva Nacional de 26 de setembro, conclama todas suas entidades para a mais ampla mobilização para O DIA 

NACIONAL DE GREVE EM 11 DE NOVEMBRO.
As medidas já anunciadas pelo governo golpista e as iniciativas recentemente aprovadas ou em curso no Congresso Nacional – como a PEC 241 - apontam numa única direção: retirar direitos da classe trabalhadora, arrochar salários, privatizar empresas e serviços públicos, entregar nossas riquezas à exploração das multinacionais, diminuir drasticamente os investimentos em serviços públicos essenciais, como educação e saúde,  e  fazer a reforma da previdência. 

Com essas iniciativas de caráter neoliberal, joga nos ombros da classe trabalhadora, sobre quem já pesa o ônus do desemprego em massa, os custos de uma política regressiva e autoritária de ajuste fiscal, que, como viemos denunciando, é o verdadeiros objetivo do golpe. 

A forma da classe trabalhadora organizada reagir a esses desmandos e retrocessos é a  luta unitária. E esta luta passa pela greve como arma para enfrentar e barrar a agenda do governo golpista contrária aos interesses dos/as trabalhadores/as, das mulheres, da agricultura familiar e dos setores mais pobres da população brasileira.  As palavras de ordem que orientam a participação da CUT no DIA NACIONAL DE GREVE EM 11 DE 

NOVEMBRO são:

Não à PEC 241 e ao PL 257
Não à Reforma da Previdência
Não à MP do Ensino Médio
Não à terceirização, à prevalência do negociado sobre o legislado e à flexibilização do contrato de trabalho

Em defesa da Petrobrás, do Pré-Sal e da soberania nacional".
Vamos à luta por
NENHUM DIREITO A MENOS!
Sergio Nobre
Secretário Geral

FONTE: http://cut.org.br/noticias/11-de-novembro-dia-nacional-de-greve-

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obs: Comentários preconceituosos, difamatórios e sem nenhuma relação com o post, não serão aceitos.